Arquivo da tag: Inovação

Como podemos te ajudar a montar uma empresa de consultoria virtual

ConsultoriaOnline

 

A consultoria virtual é a nova forma encontrada por empresas ou profissionais independentes ao realizar suas atividades através da internet, facilitando:

  • A divulgação e o aumento da comercialização de produtos ou serviços;
  • Conquistar novos clientes;
  • Ampliar e melhorar de sua rede de relacionamentos.

Assim você pode se diferenciar dos serviços ditos convencionais, como também até criar um ecossistema em torno de suas ofertas.

Por outro lado o cliente pode te contratar de imediato, independente do local onde você ou a sua empresa estão localizados.

Quem agregar esta facilidade ao seu perfil de negócio estará num mercado considerado promissor, pois o canal para a realização de negócios, a internet, está em franco crescimento, expansão e sofisticação, com um público a cada dia maior. Além de ser um tipo de atividade que não requer um investimento inicial elevado, na medida em que você deve disponibilizar seus serviços e conhecimentos de forma consultiva e tudo isto é divulgado através da própria rede.  Desta forma as suas ofertas serão disponibilizadas com baixos  valores financeiros diretos.

A expectativa de retorno também é bastante aceitável e irá variar de acordo com o tipo de serviço, do posicionamento em termos de mercado, do segmento de clientes e suas demandas, bem como da comunicação que for feita em tempo de divulgação do serviço. 

Como funciona

Desenvolvemos uma facilidade onde o Cliente pode solicitar junto ao Consultor uma sessão totalmente personalizada de 1 hora de atendimento "on-line" que permite a interação via chat, áudio, vídeo e powerpoint ao vivo pela internet . Podem ser formuladas questões que envolvam a criação de diferencial competitivo através de estratégias de relacionamento com o mercado apoiadas na excelência do relacionamento com o cliente.

O período é fornecido pelo Cliente deste serviço, sendo que esta facilidade oferece a opção de 3 datas distintas. O Consultor irá confirmar a sua resposta optando por uma das 3 datas fornecidas e uma hora determinada, conforme descrito a seguir.

Consultoria é uma sessão personalizada de uma hora com audio, vídeo e powerpoint ao vivo pela internet; entre Cliente e Consultor. Dísponivel também de forma presencial, com período minimo de 8 horas.

São três passos simples: Agendamento, Confirmação e Sessão:

1. Agendamento: após a compra deste serviço, o Cliente escolhe, sugerindo datas em que esteja disponível para a sessão. Além disso, ele responde determinadas perguntas elaboradas previamente pelo consultor cujo objetivo é justamente permitir um conhecimento maior sobre a necessidade específica do Cliente, que irá ajudar o Consultor ao preparar e personalizar a sessão.

2. Confirmação: o Consultor confirma a data da sessão, revisando e se preparando baseado ao questionário respondido pelo cliente analisando seu perfil ou duvidas especificas. Nesta etapa o Consultor prepara documentos, powerpoint, word ou pdf customizados para a seguinte sessão.

3. Sessão: Ao vivo pela internet, audio e vídeo entre Consultor e Cliente na data marcada.

O consultor utiliza de apresentações powerpoint, documentos word e/ou powerpoint para dar suporte a sessão. O cliente pode interagir com o Consultor por vídeo, audio e/ou chat.

Para mais detalhes e exemplos de consultorias publicadas acesse aqui  

 

Alexa o Sistema Operacional da Amazon

Sistema Operacional da Amazon

Se você imaginar que o Windows (Sistema  Operacional  para negócios,  teclado e mouse) foi a primeira revolução, o Android / iPhone (celulares,  mobile, localização e direção) foi  a segunda revolução, então o Alexa da Amazon tem grande chance de ser a terceira pois faz a automação de tudo em sua casa com um simples e eficiente comando de voz, além de, evidentemente, permitir a Amazon te entregar de forma rápida praticamente qualquer coisa que podemos conceber.

Mas como podemos ter certeza disso?

A explicação é simples. Em 2016, a empresa conquistou as casas americanas com o Echo. Ele é um produto conectado ao ecosistema Amazon, dotado de inteligência artificial tendo como base o Alexa que é capaz de dar respostas, executar tarefas e, claro, fazer compras a partir de comandos de voz- observe que ele usa  apenas microfones e alto-falantes e não tem uma tela como os outros meios de mobile.  O produto foi o mais vendido na Amazon durante o Natal de 2016.

Após o sucesso inicial, a Amazon trabalha para expandir a presença da  assistente virtual baseada no Alexa, para produtos de outras marcas. O modelo de parcerias e distribuição poderia ser comparado com o que a Microsoft fez para distribuir o Windows.

Como já citamos, a chave de tudo isso foi o Echo, uma espécie de Google Now ou Cortana materializados na forma de um pequeno totem ou de um player de música superinteligente. O aparelho tem alto-falantes poderosos e, por isso, é uma ótima solução para escutar música em casa. Além do mais, ele tem vários microfones para ouvir comandos de voz do usuário e pode ser acordado sem nenhum toque, assim como os smartphones top de linha da Motorola. Você personaliza uma frase de inicialização e pode fazer perguntas ou dar ordens.

O dispositivo físico (o Echo) era simplesmente um canal para a Alexa, a nova assistente pessoal da Amazon.  E criticamente, Alexa era um serviço em nuvem, o ambiente no qual a Amazon é particularmente adequada em termos de cultura, estrutura organizacional e experiência.

O Echo criou seu próprio mercado: um assistente pessoal baseado em voz em casa. Crucialmente, a casa era o único lugar em todo o mundo onde smartphones não eram necessariamente o dispositivo mais conveniente, ou o método de entrada mais fácil para se conectar com os aparelhos. 

Havia um ecosistema a ser montado: cada vez mais produtos "inteligentes", de lâmpadas a interruptores, estavam chegando ao mercado, mas quase todas as empresas tentando ser a peça central da casa conectada dependiam do smartphone.

A Amazon foi quem primeiro aproveitou a oportunidade: O Alexa foi notavelmente proficiente desde o primeiro dia, particularmente em termos de velocidade e precisão (dois fatores que são muito mais importantes para encorajar o uso regular do que a capacidade de responder perguntas triviais). Em seguida, a empresa moveu-se rapidamente para construir seu ecosistema em duas direções.

Em primeiro lugar, a empresa criou um quadro de "Competências" simples que permitia que dispositivos inteligentes se conectassem ao Alexa e fossem controlados por meio de uma estrutura verbal relativamente rígida; no vácuo, era menos elegante do que, digamos, a tentativa de Siri de interpretar a linguagem natural, mas era muito mais simples de implementar. A recompensa já era óbvia no CES do ano passado: o apoio do Alexa estava em toda parte.

Em segundo lugar, "Alexa" e "Echo" são nomes diferentes, porque eles são produtos diferentes: Alexa é o assistente de voz, e muito parecido com AWS e Amazon.com.

Echo é o primeiro cliente de Alexa, mas dificilmente é o único. Este ano, os anúncios da CES são dominados por produtos que executam o Alexa, incluindo concorrentes diretos do Echo, lâmpadas, set-top boxes, TVs e muito mais. "Existem cerca de 1.500 aplicações que você pode fazer com a Amazon Alexa. Eu não me surpreenderia se visse 700 lançamentos relacionados a isso nos próximos quatro dias", disse Shawn DuBravac, economista chefe da Consumer Technology Association, associação responsável pela CES.

Em suma, a Amazon está construindo o sistema operacional da casa - seu nome é Alexa - e tem todas as qualidades de um sistema operacional que você poderia esperar.

Todos os tipos de fabricantes de hardware estão se alinhando para construir dispositivos habilitados para Alexa e competirão inevitavelmente uns com os outros para melhorar a qualidade e baixar os preços.

Ainda mais dispositivos e aparelhos estão se conectando à estrutura flexível  do Alexa, criando as condições para um fosso: os aparelhos são muito mais caros do que os softwares e muito mais duradouros, o que significa que todos os que compram algo que funciona com o Alexa são muito menos propensos a deixar de usá-lo.

Isso viabiliza o modelo de negócios, e esta é talvez a maior vantagem da Amazon de tudo: o Google não tem realmente uma para o reconhecimento de voz e a Apple   agora tem uma margem pequena de lucro no  iPhone por conta dos impostos.

A Amazon, por sua vez, não precisa investir um centavo no Alexa, pelo menos não diretamente pois a grande maioria das compras é iniciada em casa. Hoje, isso pode significar a criação de uma lista de compras, mas no futuro significará encomendar coisas para entrega, e para os clientes Prime o futuro já está aqui. Alexa só torna isso muito mais fácil, promovendo o objetivo da Amazon de ser o provedor de logística - e coletor de impostos - para basicamente todos e tudo.

Para ler o artigo completo (Alexa: Amazon's Operating System - Stratechery by Ben Thompson) acesse o link a seguir: ->http://bit.ly/2iFDyLB

 

 

As previsões incríveis de Nikola Tesla para o século 21

Nikola Tesla XXI

 

Na década de 1930, jornalistas de publicações como o New York Times e a revista Time visitavam Nikola Tesla regularmente em sua casa no vigésimo andar do Hotel Governor Clinton em Manhattan. Lá, o já idoso Tesla os entretia com histórias dos seus tempos de inventor e muitas vezes opinava sobre as inovações que estavam por vir.

• Em 1898, Nikola Tesla previa guerras com drones
• As novidades sobre o computador mais antigo do mundo

Há alguns anos demos uma olhada nas previsões de Tesla sobre como a eugenia e a esterilização forçada de criminosos e outras "pessoas indesejadas". Ele acredita que isso de alguma forma purificaria a raça humana até o ano 2100. Hoje, temos mais informação sobre essa matéria que foi publicada na edição do dia 9 de fevereiro de 1935 da revista Liberty. A matéria é única porque não foi uma simples entrevista como muitas das publicadas na época sobre o Tesla, na verdade é descrita como "escrita por Nikolas Tesla, como foi dito para George Sylvester Viereck."

Não é claro aonde essa matéria específica foi escrita, mas a relação amigável de Tesla com Viereck me leva a achar que pode não ter sido em sua casa no hotel de Manhattan. Entrevistas com Tesla da época normalmente aconteciam no hotel, mas às vezes Tesla jantava com Viereck e sua família em sua casa em Riverside Drive, o que significa que pode ter sido escrita lá.

Viereck se associava com muitas pessoas importantes da época, realizando entrevistas com figuras notáveis como Albert Einsten, Teddy Roosevelt e até Adolf Hitler. Como um alemão-americano morando em Nova York, Viereck era um divulgador notório do regime nazista e foi julgado e preso em 1942 por não se registrar como tal no governo americano. Ele foi solto em 1947, alguns anos depois da morte de Tesla em 1943. Não é claro se eles continuaram sendo amigos depois do governo demonstrar preocupação sobre as atividades de Viereck no final dos anos 30 e início da década de 1940.

Tesla tinha teorias interessantes sobre religião, ciência e a natureza da humanidade que vamos explorar em alguma matéria futura, mas por enquanto eu reuni algumas das previsões mais interessantes (e muitas vezes corretas) que Tesla tinha para o futuro.

Criação do EPA

 

A criação do Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (Environmental Protection Agency, EPA) não aconteceria por mais 35 anos, mas o Tesla previu a criação de uma agência parecida no próximo século.

Higiene e cultura física serão ramos reconhecidos da educação e governo. A Secretaria da Higiene ou Cultura Física será muito mais importante no gabinete do presidente dos Estados Unidos em exercício em 2035 do que o secretário da guerra. A poluição das nossas praias que temos hoje nos arredores de Nova York será tão impensável para os nossos filhos e netos quanto viver sem encanamento. O nosso abastecimento de água será supervisionado muito mais cuidadosamente e só um louco vai tomar água que não seja esterilizada.

Educação, guerra e os jornais do amanhã

 

Tesla imaginou um mundo em que descobertas científicas, e não a guerra, seriam a prioridade para a humanidade.

Hoje os países mais civilizados do mundo gastam o máximo de sua renda na guerra e um mínimo em educação. O século 21 vai reverter essa ordem. Será mais glorioso lutar contra a ignorância do que morrer no campo de batalha. A descoberta de uma nova verdade científica vai ser mais importante do que as querelas de diplomatas. Até os nossos jornais estão começando a retratar descobertas científicas e a criação de conceitos filosóficos novos como notícia. Os jornais do século 21 só vão publicar uma "nota" nas últimas páginas sobre crimes ou polêmicas políticas. As manchetes nas capas serão de proclamações de novas hipóteses científicas.

Saúde e dieta

 

Ao se aproximar do fim de sua vida, Tesla desenvolveu teorias estranhas sobre a dieta humana ideal. Ele não jantava mais do que leite e mel nos seus últimos dias, acreditando que essa era a forma mais pura de comida. Tesla perdeu muito peso e tinha uma aparência sinistra no início da década de 1940. Essa dieta escassa e seu físico esquelético levaram ao equívoco comum de que Tesla estaria falido no fim de sua vida.

Mais pessoas morrem ou ficam doentes de água poluída do que de café, chá, tabaco ou outros estimulantes. Eu mesmo evito todos estimulantes. Eu também praticamente me abstenho de comer carne. Estou convencido de que dentro de um século café, chá e tabaco não estarão mais em voga. Porém o álcool ainda será usado. Este não é um estimulante, mas um verdadeiro elixir da vida. A abolição de estimulantes não acontecerá de uma maneira forçada. Simplesmente não estará mais na moda envenenar o seu corpo com ingredientes nocivos. Bernarr Macfadden já mostrou como é possível providenciar comidas saborosas com base em produtos naturais como leite, mel e trigo. Acredito que a comida que é servida hoje em seus restaurantes será a base das refeições epicuristas nos mais elegantes salões de banquetes do século 21.

Existirão produtos de trigo o suficiente para alimentar o mundo todo, incluindo os milhões de pessoas da China e Índia, hoje cronicamente à beira da fome. A terra é tão abundante e quando sua abundância falta, nitrogênio vindo do ar refertilizará seu ventre. Eu desenvolvi um processo para esse fim em 1900. Foi aperfeiçoado 14 anos depois sob a pressão da guerra por químicos alemães.

Robôs

 

O trabalho de Tesla com robótica começou no final da década de 1890 quanto ele patenteou o seu barco de controle remoto, uma invenção que absolutamente chocou observadores na Exibição Eletrônica de 1898 em Madison Square Garden.

Hoje sofremos a disfunção da nossa civilização, porque ainda não nos ajustamos completamente à era das máquinas. A solução dos nossos problemas não está em destruir maquinas, mas em dominá-las.

Inúmeras atividades ainda executadas hoje por mãos humanas serão realizadas por autômatos. Neste momento, cientistas trabalhando nos laboratórios de universidades americanas estão tentando desenvolver o que tem sido descrito como "máquinas de pensar". Eu antecipei esse desenvolvimento.

Na verdade, eu construí "robôs". Hoje o robô é um fato aceitado, mas o princípio ainda não foi desenvolvido o suficiente. No século 21, o robô vai tomar o lugar que o trabalho escravo ocupou na antiga civilização. Não existe motivo nenhum pelo o qual grande parte disso não se concretize em menos de um século, liberando a humanidade para exercer suas aspirações maiores.

Energia barata e gerenciamento de recursos naturais

 

Muito antes do início do próximo século, o reflorestamento sistemático e o gerenciamento científico de recursos naturais terão trazido um fim para todas as secas, incêndios florestais e inundações devastadoras. A utilização universal da energia hidroelétrica e sua transmissão à longa distância vai abastecer todas residências com energia barata e dispensará a necessidade de queimar combustíveis. Sendo que a luta existencial será diminuída, deve haver desenvolvimento motivado por ideais e não questões materiais.

Tesla foi um visionário cujas contribuições para o mundo estão sendo comemoradas hoje mais do que nunca. Enquanto sua ideia de uma dieta ideal pode ter sido meio estranha, ele claramente entendia muito sobre coisas que hoje valorizamos (como ar limpo, comida limpa e nossas "máquinas de pensar") enquanto tropeçamos rumo ao futuro.

Autor: Matt Novak

Este post apareceu originalmente no Smithsonian.com.

Tradução por Mariana Siqueira para Gizmodo Brasil

 

Veja também:

Nikola Tesla, um dos gênios mais injustiçados da história->http://bit.ly/1M937kI

 

 

Os inimigos da inovação

A inovação e seus inimigos

 

Nos últimos 600 anos as sociedades humanas se opuseram a novidades diversas com táticas parecidas

 

"Não há nenhuma ideia inteligente que possa ganhar aceitação geral sem ser misturada antes com um pouco de estupidez". A frase é de Fernando Pessoa e toca num problema que as sociedades humanas enfrentam desde que começaram a existir: a oposição a novas tecnologias que podem mudar o mundo.

Desde o café à agricultura mecanizada, passando pela eletricidade, as geladeiras ou a música gravada, a história está cheia de exemplos de como as sociedades humanas resistiram a adotar inovações sem as quais hoje não poderíamos entender o mundo.

"É uma reação que está no nosso DNA, na forma em que está organizada a nossa mente", explica Calestous Juma, especialista em inovação e cooperação internacional da Universidade de Harvard (EUA). Juma foi chefe da Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas e, como tal, viveu em primeira mão debates internacionais sobre novas tecnologias, como os transgênicos. Agora, ele reuniu seu trabalho de pesquisa no livro Innovation and its Enemies (Oxford University Press) [Inovação e seus inimigos], um percurso de quase 600 anos de história analisando alguns casos de oposição a novas ideias e tecnologias que tinham potencial para transformar o mundo.

Em 1866, durante a Exposição Universal de Paris, Luis Napoleão III lançou um desafio aos cientistas: encontrar uma fonte de proteínas alternativa à manteiga que fosse mais barata. Na sua cabeça estava a necessidade de alimentar uma população cada vez mais empobrecida e um exército faminto e ameaçado pelo desejo expansionista de outras potências europeias. O prêmio foi ganho por Hippolyte Mège-Mouriès, inventor da margarina.

Enquanto a Europa adotou o novo produto, nos EUA provocou o nascimento do lobby da indústria de laticínios, que lançou uma guerra aberta contra o alimento. Os produtores de manteiga conseguiram fazer com que a margarina fosse proibida em vários Estados e essas leis foram mantidas até pelo Tribunal Supremo. Para conseguir frear o consumo do novo produto, muito mais acessível do que a manteiga, a indústria se serviu de estudos científicos inventados e campanhas de ódio dizendo que a margarina era "antiamericana" porque continha um produto importado, o óleo de coco. A indústria estigmatizou as famílias que a consumiam porque estavam usando um produto barato, o que questionava a capacidade do pai de família para sustentar os seus.

Os produtores de margarina reagiram substituindo o óleo de coco pelo derivado de plantas mais "americanas" como o algodão e a soja e fizeram alianças com os produtores nacionais desses cultivos. A demanda de margarina cresceu até que seu consumo ultrapassou o da manteiga na década de 50 do século XX, depois que as leis aprovadas contra ela no meio do século passado foram revogadas.

Esse "é um dos melhores exemplos de como a indústria afetada, utilizando instrumentos legais, pode prejudicar ou eliminar novas tecnologias", escreve Juma.

O café, os tratores agrícolas, as geladeiras ou a imprensa no mundo muçulmano também foram objeto de campanhas de desprestígio. O primeiro sofreu durante séculos a proibição imposta por autoridades religiosas muçulmanas, que fecharam cafeterias por lei. Fizeram isso não tanto pela própria infusão em si, mas pelo fato de que era consumida em locais de entretenimento nos quais se conversava e se compartilhavam ideias, o lugar perfeito para o surgimento de vozes dissidentes em relação ao poder estabelecido. Os cafés foram proibidos em Meca, Isfahan, Cairo e Constantinopla durante 200 anos.

Quando o café pulou do Império Otomano para a Europa, o efeito foi o mesmo e os reis de alguns países decretaram o fechamento de cafeterias e "clubes de café" que começavam a aparecer nas universidades. Antes que a Itália fosse a pátria do "expresso", o país resistiu ao novo produto por medo de que prejudicasse o setor do vinho. Mas o Papa Clemente VIII fez uma defesa inteligente da infusão em 1600: "Esta bebida de Satanás é tão deliciosa... que seria uma pena que apenas os infiéis pudessem usá-la. Enganaremos Satanás batizando-a e tornando-a uma bebida genuinamente cristã", escreveu.

Juma traça paralelos entre as táticas e argumentos utilizados no passado e os que dominam polêmicas atuais como a dos transgênicos, a rejeição às vacinas ou à inteligência artificial. Os transgênicos são chamados de "Alimentos Frankenstein". O café foi descrito como "álcool juvenil" na Índia, e na Inglaterra, França e Alemanha alertavam que provocava esterilidade. Os alimentos refrigerados eram "alimentos embalsamados", o telefone, "instrumento do diabo" e a margarina "manteiga de touro".

A suposta novidade perturbadora de alguns produtos é muitas vezes a causa de sua rejeição. No caso dos organismos geneticamente modificados, trata-se de variantes de plantas que foram geneticamente modificadas para produzir toxinas de Bt, que eliminam as pragas mais comuns do milho e de outros vegetais. Embora os meios de usar as Bt dessa forma seja novo, o conceito em si é muito antigo, quase tão tradicional como a agricultura, porque já no antigo Egito se usavam toxinas Bt para evitar as pragas na agricultura, escreve Juma.

Em 1942, o sindicato de músicos mais importante dos EUA proibiu seus membros de fazer discos e convocou todos os seus membros a fazer greve contra a indústria fonográfica. Pensavam que a gravação de canções acabaria com a música ao vivo. Os diretores do sindicato chegaram a exigir como compensação que as rádios contratassem músicos e que apenas estes estivessem capacitados para reverter os vinis. Em parte, eles tinham razão em prever a perda de muitos postos de trabalho, escreve Juma, mas a chegada dos discos transformou a indústria até torná-la um sistema em que os artistas puderam alcançar um poder e uma riqueza impensáveis.

Juma destaca que nossas sociedades não melhoraram muito de seis séculos para cá na hora de gerir a chegada de tecnologias transformadoras e isso é um risco, porque cada vez mais dependemos delas para enfrentar os problemas globais como a escassez de alimentos e a pobreza em um planeta superpovoado, o desenvolvimento de energia limpa e renovável, ou a busca de novos medicamentos contra as doenças do envelhecimento.

A conclusão do autor é que "as sociedades não se opõem às ideias porque sejam novas, mas porque percebem uma perda", seja de trabalho, renda ou o desmantelamento de um modo concreto de vida. Os mesmos dilemas que causou o café há séculos estão agora presentes com a agricultura transgênica e, no futuro, estarão em outros campos. Os mais prementes, diz Juma, são a inteligência artificial, a edição genômica e a impressão em 3D.

 

 

Autor: Nuño Domínguez

Fonte: El País  

 

15 tendências que influenciarão a Internet até 2020

15Tendencias

Segundo o Visual Networking Index (VNI), quantidade de internautas no Brasil passará de 97 milhões para 141 milhões em 2020. Esse total projetado representará 65% da população brasileira conectada.

 

A Internet já se tornou um item básico para a maioria dos seres humanos. Para compreender a evolução dessa rede, a Cisco libera um estudo anual, que ajuda a traçar um panorama com relação ao futuro da web.

A edição mais recente do Visual Networking Index (VNI) aponta quatro forças propulsores do que está por vir: aumento da quantidade de usuários, mais dispositivos conectados, expansão da velocidade de conexão e explosão do vídeo.

De acordo com a fabricante, atualmente, existem cerca de 3 bilhões de usuários de internet. Esse número será de aproximadamente 4,1 bilhões em 2020. Dessa forma, os recursos de conectividade chegarão a 52% da população mundial.

O número de dispositivos conectados saltará de 16,3 bilhões para 26,3 bilhões. Segundo Hugo Baeta, diretor da Cisco, aproximadamente 12 bilhões desse total virão de comunicação entre máquinas (M2M).

As projeções do VNI sinalizam, também, que a média da velocidade de banda larga passará de 24,7 Mbps para 47,7 Mbps. O cenário para 2020, ainda, aponta que 82% de todo o tráfego nas redes de internet será vídeo.

Cenário brasileiro
No Brasil, o número de usuários passará de 97 milhões para 141 milhões em 2020. Esse total projetado representará 65% da população brasileira conectada. O número de dispositivos passará de 519 para 766 milhões (uma proporção de 3,6 dispositivos por pessoa). A Cisco aponta que a velocidade média de conexão passará d de 8,5 Mpbs para 19,5 Mbps e o vídeo representará 85% do tráfego total.

Olhando para o contexto regional, ao final da década, a América Latina terá 394 milhões de pessoas na Internet. Em termos de dispositivo, serão 2 bilhões de aparelhos conectados em território latino americano. "O crescimento não é mais impulsionado por usuários, mas por conexão máquina a máquina", afirma o executivo.

O estudo da Cisco projeta 15 tendências que moldarão o futuro da internet.

1. Crescimento das conexões M2M
Cada vez mais, o futuro da internet será recheado por máquinas. Segundo De acordo Baeta, as conexões M2M representarão 46% do total, seguido por telefones móveis (21%).

2. Mais aparelhos capazes de rodar vídeos
"Vemos que os smartphones terão uma predominância nesse contexto", projeta o diretor, sinalizando esses dispositivos como predominantes no consumo de recursos em vídeo em 2020.

3. Média de tráfego por dispositivo crescerá exponencialmente
O volume de tráfego nos aparelhos passará por uma expansão acentuada. Atualmente, a média de consumo mensal de um módulo M2M gira na casa dos 139 Mbps. Até o final da década, esse número saltará para 458 Mbps. A mesma evolução pode ser vista nos smartphones, saindo 1,389 para 7,872 Mpbs por mês.

4. Queda nas conexões via PC
O estudo da Cisco indica que os PCs vão perder força no tráfego total. Os smartphones tomarão o lugar dos computadores, saindo de 8% para 30% do tráfego em 2020.

5. O advento da IoT
As conexões M2M impulsionarão a quantidade de conexões. "Os tipos de conexão mais comuns hoje são de casas, ambientes empresariais e carros conectados", lista o diretor, afirmando que essas três frentes continuam sendo dominantes em quantidade de conexões, além de terem crescimento significativo nos próximos anos.

6. IPv6 avança
O IPv6 passará por uma evolução exponencial do que o tráfego geral da internet, com 74% de crescimento médio global até 2020.

7. Conteúdo em alta
O HD impactará o mundo IP. Em 2020, o Brasil terá 56% de conteúdo em alta definição trafegando em internet, contra 63% no mundo.

8. Novas fontes de entretenimento
Muitos usuários migrarão de serviços de TV por assinatura tradicionais para o streaming. "Isso é uma tendência em mercados mais desenvolvidos, mas não é algo observado no Brasil. Mas, à medida que o mercado amadurece, passa a valer em solo nacional", pondera.

9. Acesso público
De acordo com a Cisco, o número de hotspot públicos vai crescer consideravelmente nos próximos anos. Até o final da década, o mundo terá um total de 433 milhões de hotspots, dos quais 9% serão na América Latina.

10. Cada vez mais sem fio
Em 2018, o número de acessos móveis e Wi-Fi supera os acessos de fixos.

11. Consumo intenso
O uso de banda por usuário passará de uma média atual de 19 Gb para 44 Gb por mês. O tráfego médio em uma residência sairá de 49 Gb par 118 Gb por mês. No Brasil o consumo em média por usuário passará de 16 Gb para 32 Gb e de uma casa sairá de 42 Gb para 90 Gb por mês.

12. O mundo ajusta os planos
De acordo com a Cisco, há um aumento dos limites nos serviços de dados pelos provedores ao redor do mundo, isso se alinha com o cenário de aumento de tráfego. Na mesma medida, as operadoras enfrentam o desafio de atender o tráfego de momentos de pico.

13. Mais velocidade
A velocidade média global das conexões será de 47,7 Mbps em 2020. No Brasil, a média deve chegar a 19,5 Mbps.

14. Serviços diversos
De acordo com a pesquisa, o mundo verá um aumento na utilização de serviços de vídeo sob demanda e transmissão ao vivo usando redes IP. No mundo doméstico, espera-se avanço na adoção de redes sociais, mobile banking e commerce. No ambiente empresarial, há uma tendência de adoção de comunicação unificada e serviços com recursos baseados em contexto de localização.

15. Mais inseguro
O número de ataques DDoS chegará a 17 milhões em 2020 (contra 2.6 milhões registrados em 2015.

 

Veja também:

Como estamos hoje e para onde vamos com tanta informação?->

http://bit.ly/1TdnPh1

 

Cinco passos para garantir a proteção dos dados de negócios->

http://bit.ly/1ZQVBMT

 

Entrega de excesso de conteúdo = Aprendizado?->

http://bit.ly/1TpkT4L

 

 

 Fonte:cio.com.br

25 maneiras de descobrir um novo produto para (re)inventar seu futuro

25Maneiras

Aqui mostraremos uma lista com 25 métodos para você identificar a sua próxima (re)invenção. Antes de mais nada não esqueça de acertar na estratégia!

1- O que te incomoda?

Pense sobre  o que mais te incomoda  em algo e crie uma solução. Talvez você tenha a ideia de um cabo retrátil para computadores para eles não se enrolarem ou ficarem bagunçados!

2- Aprenda com o gringo

Você já viu  algo num país estrangeiro  que você nunca viu por aqui? Em todos os supermercados maiores que disponibilizavam carrinhos, você precisava fazer um depósito entre 1 e 2 euros pra poder usá-lo. Antes de ir embora, colocava o carrinho de volta e recebia de volta o dinheiro (a mesma moeda). Eu nunca vi isso por aqui, até hoje. Por que não levar isso pro mercado?

3- Mão na massa

Você tem algum gadget, bolsa ou artigo sobre costura que você simplesmente sabe que pode fazer melhor? Faça um protótipo em casa mesmo e veja se sua ideia é realmente legal… Use argila, barbante, papel, lençóis…

4- Necessidades das pessoas

Quando estiver com seus amigos,  ouça suas necessidades e reclamações  com ouvido bem aberto. Minha amiga estava se mudando e não tinha espaço no armário para todas as suas bolsas - foi assim que criei a patente do  Handy Hold All.

5- O que você mais gosta de fazer?

Existe algo que você consegue criar  que melhoraria essa experiência? Se você se exercita caminhando, talvez você tenha ideia para melhores pesos de braço ou perna que já estão por aí!

6- Faça uma pesquisa de mercado

Pergunte aos amigos e parentes quais são suas necessidades e desejos. Caso haja recursos para tal, faça uma survey online, e divulgue para descobrir algo que o público precisa!

7- Fóruns e grupos de discussão

Entre em fóruns e grupos de discussão onde o seu público debate.  Hoje em dia, em plataformas como o Facebook e Google +, é fácil conseguir encontrar algumas ideias interessantes de produtos que ainda não existem.

8- Oportunidades de nicho

Invista em oportunidades de nicho, ou seja, em mercados específicos. Talvez alguma variação de um outro produto. Trabalha com roupas? Você pode se especializar em produtos infantis para meninas 0 a 4 anos. Pretende abrir um negócio que envolve livros? Fique de olho nas tendências de gênero. Essa é uma ótima fórmula para investir em um novo negócio.

9- Tendências internacionais

Fique de olho em tendências internacionais. Verifique quais são os novos produtos que vêm fazendo sucesso lá fora. Uma boa ideia pode ser procurar por produtos que vendam bastante em sites como o  EbayAliExpress  e  Alibaba  e ainda não são comercializados no mercado nacional.

10- Micro ambiência 

Repare na micro ambiência. Muitas vezes, um produto não precisa ser uma grande necessidade nacional, mas pode ser útil em caráter regional e até municipal. Ande pelas ruas da sua cidade ou bairro e descubra o que faz falta aos moradores do local.

11- Demanda por produção estrangeira

Busque por mercados onde haja demanda por produção estrangeira. Muitas vezes, grandes empresas exportam matéria-prima e até mesmo produtos, pois eles não estão disponíveis no mercado nacional. Descobrir novas oportunidades inclui estar atento às necessidades de produção em caráter local.

12- Upgrades

Observe produtos populares que precisam de complementos. Imagine o sucesso do produto quando inventaram o primeiro suporte para televisão? O mesmo vale para seguradores de livros, capas para celulares, etc. Produtos complementares podem ser uma ótima maneira de se posicionar  no mercado.

13- Keyword Planner

Fique atento ao Planejador de Palavras-Chave do Google. Essa é uma ferramenta que mostra as tendências de buscas do maior mecanismo de pesquisas do mundo. Portanto, vale a pena tentar encontrar algo que venha sendo procurado pelas pessoas e ainda não está sendo vendido.

14- O que as pessoas amam

Identifique o que as pessoas amam. Quanto mais os consumidores gostam de um produto, mais sucintos à compra eles estarão. Você pode fazer produtos semelhantes ou relacionados, mas não especificamente iguais àqueles que já fazem sucesso.

15- Oportunidades de negócio

Fique ligado nas oportunidades de negócio. Com o surgimento de novos produtos e tecnologias diariamente, várias oportunidades e necessidades são criadas no mesmo ritmo. Ninguém precisava de cuecas até inventarem as calças. Não existiriam pires sem xícaras. Observe de perto como os hábitos do consumidor se alteram e invista em algo que supra suas necessidades atuais.

16- Experiência própria

Considere suas próprias experiências. Muitas vezes, você possui uma habilidade exclusiva e não tira proveito disso. Pense naquilo que você já experimentou e foi importante no seu cotidiano.

17- Contexto

Adapte-se ao seu contexto e ao escolher um produto faça análise de mercado e da concorrência. Antes de criar um produto, verifique o que você já tem. O que você poderia começar a vender amanhã? Muitas empresas grandes foram fundadas em garagens, para evitar gastos dispendiosos com estocagem ou aluguel de lojas e escritórios. Se você não possui muito espaço, talvez seja uma boa ideia investir em produtos que exigem pouca capacidade de estoque. Se você tem acesso fácil a algum tipo de matéria-prima, como argila ou tinta, invista nisso e use a facilidade a seu favor.

Veja -> Como analisar a concorrência de forma eficaz?

 

18- Tendências online

 

Preste atenção às tendências do consumidor online. Existem diversas ferramentas que podem ajudá-lo a descobrir sobre o que as pessoas estão falando, como o  Trend WatchingTrend Hunter  e  Springwise. Elas rastreiam as redes sociais e sites online, sempre buscando pelos principais assuntos comentados pelos consumidores.

19- Líderes da indústria

Observe os líderes da indústria. Seguir grandes empresas e pessoas nas redes sociais pode inspirar grandes ideias. Existem algumas boas plataformas para descobrir quem são os principais influenciadores online, inclusive segmentando a indústria, como oFollowerWonk  e o  LittleBird.

20- Entenda reclamações

Confira plataformas de proteção ao consumidor como o  Reclame Aqui  e o Proteste. Muitas pessoas estão insatisfeitas com algum serviço ou produto, e é fácil identificá-las pelos índices de reclamação. Essa pode ser uma grande oportunidade para investir em um segmento onde haja carência de ofertas com qualidade.

21- Sites estrangeiros

Visite sites estrangeiros sobre novidades de mercado. Muitos deles selecionam mercadorias novas, ainda em fase experimentação e comercialização. Alguns bons exemplos são o  UncrateBless This StuffCool MaterialGear MooseWerd  e  Firebox.

 

22- Produtos para revenda

Exporte produtos para revenda. Existem grandes sites nacionais e internacionas de vendas e leilões que oferecem produtos por preços baixos. Há várias oportunidades incríveis nesses locais, e quanto maior o valor da compra, menor o preço unitário dos produtos. Vale a pena investir nos já citados Ebay, Alibaba e AliExpress, além de sites como  DobaGlobal SourcesDHgateMade-in-China  e  Trade Good.

23- Maiores lojas virtuais

Confira regularmente às maiores lojas virtuais do mercado. Observar quais são as principais tendências do mercado pode ser uma ótima fonte de inspiração e criação de oportunidades. Fique de olho em lojas como  AmazonSaraivaSubmarino  e  Netshoes.

24- Comparadores de preço

Consulte os comparadores de preços como  BuscapéZoom  e  Bondfaro. Além de poder fornecer boas ideias, também podem criar uma noção de precificação e nichos para investimento. Ah, não se esqueça de ficar atento a sites estrangeiros, onde os produtos podem chegar antes aos consumidores.

25- Reddit

Acesse o Reddit. Essa rede social, embora não seja muito popular no Brasil, possui um interessante algoritmo que ranqueia os comentários de acordo sua relevância para os usuários. Alguns dos fóruns disponíveis são bastante interessantes. No  Buy It For Life(Compre Isso Para a Vida), são selecionados produtos de qualidade garantida, tal qual sua durabilidade. Há também o  Shut Up and Take My Money  (Cale a Boca e Pegue meu Dinheiro), onde são ofertados produtos que as pessoas irão se encantar.

Além disso, se você pesquisar profundamente pelo site, pode encontrar interessantes pesquisas de mercado completamente gratuitas ou até mesmo criar a sua própria. Alguns bons exemplos são:

Reddit,  qual produto abaixo de $20 você recomenda para que todos comprem?

Qual produto de $100 tem a capacidade aumentar a qualidade de vida?

 

Fonte:http://saiadolugar.com.br/empreendedorismo

Veja também:

Negociações de sucesso: estratégias e habilidades essenciais->

http://bit.ly/255xq0N

Qual estratégia de colaboração é adotada pelas empresas no Brasil e no mundo?-> http://bit.ly/1QDGjuX

Transformação digital versus Estratégia Digital->

http://bit.ly/1PQHhOI

10 passos para construir uma estratégia de Marketing  Digital eficaz->

http://bit.ly/1SHcWI1

 

 

 

 

 

 

 

 

Google RankBrain

GoogleRankBrain

 

Uma parte relevante das buscas realizadas diariamente no Google são novas e para poder tratá-las é preciso que o Google entenda exatamente o que está sendo perguntado e isso nem sempre é tão simples já que há palavras e frases que podem ser entendidas de muitas formas diferentes, daí a importância da pesquisa e desenvolvimento de algoritmos de aprendizagem de maquina  ("machine learning")  como o RankBrain.  

A aprendizagem de maquina é identificada quando o computador ensina a si mesmo como fazer alguma coisa, em vez de ser instruído por humanos ou por programação detalhada. No Google, os primeiros passos com aprendizado de máquina começaram pelo menos quando o Google iniciou o combate ao SPAM em 2002 e observamos os primeiros sinais de que algo mais evoluído estava surgindo quando o Google divulgou o seu algoritmo de análise comportamental e de qualidade, Panda. Sempre foi uma ambição de todos os motores de busca a criação de tecnologias que contribuam para uma menor dependência de fatores que sejam fáceis de manipular para colocar os sites nos primeiros lugares das pesquisas.

O RankBrain é uma máquina de aprendizagem cuja existência foi  confirmada em 26 de outubro de 2015, sendo que podemos encontrar informações adicionais que o Google disponibilizou no Search Engine Land. O RankBrain ajuda o Google processar os resultados de pesquisa e fornecer resultados  mais relevantes para os usuários. Em uma entrevista recente, o Google comentou que RankBrain é o terceiro fator mais importante no algoritmo de classificação, juntamente com links e conteúdo e é parte do principal algoritmo de pesquisa do Google, que é chamado de Hummingbird, um programa de computador que é usado para classificar as bilhões de páginas da Web  e de encontrar aquelas consideradas mais relevantes para as pesquisas específicas.

O RankBrain utiliza inteligência artificial para transformar uma grande quantidade de linguagem escrita em entidades matemáticas ( vetores de palavras) se encontrar uma palavra ou frase desconhecida. Se o RankBrain localiza uma palavra ou frase que não ainda não esteja familiarizado, a máquina tenta interpretar com palavras ou frases que possam ter um significado similar e assim filtra o resultado em conformidade, tornando-o mais eficaz na manipulação de consultas de pesquisa nunca antes vistos.

Existe mais de 200 fatores de classificação diferentes que compõem o algoritmo de ordenação, dos quais as suas funções exatas do algoritmo do Google não foram totalmente revelados, por isso é impossível saber com 100% de certeza. O consenso geral é que RankBrain interpreta as pesquisas dos usuários para encontrar páginas que podem não ter em seus conteúdos as palavras exatas que foram usadas na consulta de pesquisa do usuário, mas mesmo assim poderão estar relacionadas de alguma maneira. Quando desligada, o RankBrain  faz processamento em  lotes de pesquisas anteriores e aprende combinando resultados de pesquisa encontrados.  Uma vez que os resultados da RankBrain são verificados pela equipe do Google o sistema é atualizado e vai ao ar novamente já incorporando novas informações.

Máquinas de aprendizagem como o RankBrain permitem ao Google aperfeiçoar a busca rapidamente, ganhar escala, e  de certa maneira  evoluir em áreas que, sem o uso dessas tecnologias, ficariam estagnadas. Trazendo isso para o mundo  de otimização de busca, mais especificamente "Search engine optimization" - SEO, é possível observar uma abrangência cada vez maior de possibilidades para o uso da ferramenta. 

Fontes e Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/RankBrain

Clark, Jack.  "Google Turning Its Lucrative Web Search Over to AI Machines". Bloomberg Business. Bloomberg. Retrieved 28 October 2015.

"Google vs. Moz On Clicks Influencing Search Ranking". SE Roundtable. Retrieved 24 March 2016.

  "Google Turning Its Lucrative Web Search Over to AI Machines". Surgo Group News. Retrieved 5 November 2015.

 "Google's 200 Ranking Factors: The Complete List". Backlinko (Brian Dean). 2013-04-18. Retrieved 2016-04-12.

Sullivan, Danny.  "FAQ: All About The New Google RankBrain Algorithm". Search Engine Land. Retrieved 28 October 2015.

 

http://www.profissionaldeecommerce.com.br/faq-tudo-sobre-rankbrain-o-novo-algoritmo-google/

http://br.wwwhatsnew.com/2015/10/rankbrain-sistema-de-inteligencia-artificial-usado-por-google-em-seu-buscador/

 

A Sustentabilidade como um grande benefício na adoção de sistemas autossustentáveis como o Hyperloop

Hyperloop2

 

No post anterior "O Futuro é Hyperloop"relacionamos este novo sistema de transporte com temas como Inovação e Sustentabilidade, sendo que a partir daqui iremos nos aprofundar um pouco mais nestas relações convergentes.

Há toda uma revolução em marcha para a mudança da matriz energética e é sobre isso que o Hyperloop mostra ser algo realmente inovador quando se trata de um projeto totalmente voltado para a Sustentabilidade. Elon Musk referiu-se ao ele como " um cruzamento entre um Concorde, um Canhão Ferroviário e uma mesa de air hockey." Ele escreve que o sistema "consiste de um tubo de baixa pressão com cápsulas que são transportados em velocidade baixa e velocidade elevada em toda a extensão o tubo".  

 

Depois de desenvolver White Paper de 58 folhas, definindo os conceitos básicos por trás do complexo sistema do projeto, Elon Musk desafiou a comunidade de engenharia a construí-lo.  Os motivos para o empresário não ter assumido pessoalmente a frente do desenvolvimento do mega projeto são um tanto óbvios: ele já está ocupado o suficiente resolvendo assuntos da Tesla e da SpaceX, duas de suas empresas. Enquanto a primeira é uma montadora que tem como próximo grande objetivo construir carros que dirigem sozinhos, a segunda está aprimorando seu foguete reutilizável e focando na missão de levar astronautas da NASA até a Estação Espacial Internacional.

 

O Hyperloop emprega tecnologias limpas e alguns aspectos do projeto oferecem economia de energia e uma parte relativamente pequena de pegada ambiental ("FootPrint") . Os tubos de aço, dois deles para o curso de duas vias, são acomodados em postes de concreto de 20 pés colocados a cada 100 pés. Esta configuração evita a elevada ruptura ambiental envolvido com construção subterrânea. Painéis solares cobrem as partes superiores dos tubos para alimentar o sistema. As cápsulas individuais são alimentadas por baterias.

 

O Hyperloop reduz o arrasto atmosférico sobre as cápsulas através da racionalização mantendo pressão de ar reduzida no interior dos tubos a 100 Pascal. Isso diminui a força de arrasto "por 1.000 vezes em relação às condições do nível do mar ... o equivalente a voar acima de 150.000 pés de altitude."

 

Em outra entrevista mais recente para a CNN Money Elon Musk ressaltou que em 2100 poderá haver 10,8 bilhões de pessoas vivendo em nosso planeta, fato que por si só coloca a questão da sustentabilidade como vital para o futuro e acreditamos que o principal motivador de suas iniciativas tem como base este enfoque.

 

Mas o que é realmente o conceito de sustentabilidade e em que fatores  se baseia?

Como forma de tornar mais acessível e simplificado o acesso ao conhecimento sobre a importância da sustentabilidade, foi criado o conceito dos três pilares da sustentabilidade: o social, o ambiental e o econômico.  É importante perceber que este enfoque é construído a partir de contextos em que a sustentabilidade é aplicada, ao mesmo tempo em que há uma interdependência entre eles. Logo, todo projeto que tem como uma de suas principais metas a sustentabilidade deve necessariamente ter por indicadores de sucesso índices que mostrem os ganhos sociais, ambientais e econômicos.

 

O aspecto social refere-se diretamente ao elemento humano, portanto deve passar pela ideia de se ter uma sociedade bem cuidada e saudável, traduzindo-se no desenvolvimento de políticas que busquem melhorias em áreas como saúde, educação, mobilidade, segurança e lazer. Este pilar parte do princípio que a busca por uma sociedade sustentável deve estar orientada para a inovação da maneira como nos tratamos, deslocamos, ensinamos e aprendemos, cuidamos de nossa saúde, mitigamos os riscos e ampliamos as nossas opções de lazer.

Através desta ótica o Hyperloop pode ser de grande contribuição, pois permite deslocamentos a velocidades que se aproximam dos 1200 km/h, assim poderíamos ir de São Paulo ao Rio de Janeiro em menos de 29 minutos, o que seria fantástico. Mas, ainda segundo  Elon Musk, a sua viabilidade econômica ideal será para trechos de 1600 kms de distância pois nesta distâncias a estimativa de custo é inferior a outros projetos semelhantes de trens de alta velocidade, tornando-o acessível para mais pessoas e com melhor custo benefício que jatos supersônicos.

O pilar ambiental tem as suas raízes nas muitas maneiras de se buscar a preservação do meio ambiente, dos recursos naturais, além da diminuição do desperdício de materiais. Esta etapa busca estudar as melhores formas de se desenvolver e priorizar projetos com o menor impacto ambiental e encontrar alternativas sustentáveis dentro de cada contexto. Observa-se que este enfoque é o que mais dá visibilidade imediata para questões relacionadas com sustentabilidade, pois o crescente consumo de energia, principalmente não renovável, irá levar a situação de extrema escassez caso não haja uma mudança radical na forma como vivemos.

Quanto ao impacto ambiental a adoção do  Hyperloop também é extremamente favorável, pois funciona através de uma cápsula que é impulsionada a alta velocidade através de um tubo. A cápsula utiliza um sistema de levitação magnética passiva, um sistema que utiliza imãs para fazer a cápsula levitar, sem consumir eletricidade para isto. Estes imãs alimentam-se a si próprios através do movimento, tornando-se este meio de transporte autossuficiente, sem contar com o sistema de propulsão.

A propulsão do sistema é fornecida por meio de indução linear: magnetos na parte exterior das cápsulas e no interior do tubo se repelem, empurrando-as para frente (essa seria a parte do canhão eletromagnético, citado pelo criador do projeto). Para reduzir a resistência ao rolamento, cada cápsula terá um compressor responsável por tirar o ar da frente da composição e dispensá-lo por meio de furos na parte inferior da cápsula (essa seria a parte da mesa de air hockey), assim a cápsula desloca-se através de um tubo de vácuo transparente - a ausência de ar anula o atrito, fazendo aumentar a velocidade da cápsula.

 

Fontes e Matérias Relacionadas:

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/hyperloop-o-transporte-tubular-para-carros-e-pessoas

http://gizmodo.uol.com.br/parece-que-teremos-uma-competicao-de-hyperloops-em-2016/

http://www.gizmag.com/hyperloop-musk-analysis/28672/ 

http://news.thomasnet.com/IMT/2013/09/03/is-the-hyperloop-the-greenest-track-for-rapid-transit

http://whatson.ae/dubai/knowledge/39222/hyperloop-will-happen-abu-dhabi-dubai-15-minutes/

https://thebottomline.as.ucsb.edu/2016/02/ucsb-students-head-to-final-round-in-spacex-hyperloop-pod-competition

http://theworldlink.com/lifestyles/go/purdue-team-to-build-test-their-high-speed-hyperloop-design/article_957228f0-03a2-5c2f-8680-7f70ffa4074a.html

http://www.zdnet.com/article/elon-musks-hyperloop-heres-the-dutch-team-with-designs-on-supersonic-train-concept/

http://www.abc.net.au/radionational/programs/drive/bibop-gresta-hyperloop/7157490

http://www.wdbj7.com/news/local/virginia-tech-students-advance-through-hyperloop-competition/37932110

http://www.dailytargum.com/article/2016/02/rutgers-students-join-hyperloop-team-advance-to-next-round

http://www.philly.com/philly/business/transportation/20160211_Drexel_students_compete_to_design_pods_for_Elon_Musk_s_hyper-fast__quot_hyperloop_quot__transportation_prototype.html

http://www.gdnonline.com/Details/65556/Hyperloop-technology-%E2%80%98future-of-transport%E2%80%99

http://www.citylab.com/commute/2016/02/hyperloop-technologies-behind-the-scenes-tour-lab/462033/

http://thetriangle.org/news/drexel-hyperloop-advances-at-spacex-design-weekend/

http://bgr.com/2016/02/07/elon-musk-electric-jet-great-idea/

http://www.nyunews.com/2016/02/08/tandon-team-makes-hyperloop-possible/

https://www.yahoo.com/tech/the-hyperloop-how-elon-musks-dream-is-becoming-a-225746160.html

http://compositesmanufacturingmagazine.com/2016/02/winning-hyperloop-design-from-massachusetts-students-incorporates-carbon-fiber/

http://motherboard.vice.com/read/the-hyperloop-industrial-complex

http://www.dailytexanonline.com/2016/02/11/hyperloop-could-solve-austin%E2%80%99s-traffic-problem

http://www.abc.net.au/radionational/programs/drive/hyperloop-transport-system-hurtling-toward-australia/7162762

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3493007/Hyperloop-coming-Europe-Superfast-tube-people-continent-just-25-minutes-2020.html

http://www.theverge.com/2016/5/10/11653374/hyperloop-one-technologies-propulsion-test-las-vegas-aecom

http://abc7.com/technology/la-to-san-francisco-in-30-minutes-hyperloop-one-reveals-propulsion-system/1334607/

 

 

O Futuro é Hyperloop

Hyperloop1

Inovação + Sustentabilidade = Hyperloop

O que é o Hyperloop?

O Hyperloop* é um sistema conceitual de transporte de alta velocidade que vem sendo desenvolvida pelo empreendedor Elon Musk. Correndo em um tubo de baixa pressão, o Hyperloop flutua sobre um fluxo constante de ar pressurizado e pode atingir velocidades de 1.200 Km/h.

Elon Musk, dono de uma fortuna de 13,1 bilhões de dólares (estimativas de Março de 2015) e talvez um dos principais visionários de nosso tempo e envolvido na estruturação de empresas como PaypalSpaceX e Tesla Motors, declarou recentemente em uma entrevista 'a LINCOLN P. BLOOMFIELD JR que quando estava na faculdade decidiu que queria estar envolvido em coisas que poderiam ter um impacto significativo sobre o futuro da humanidade. E as três coisas que ele visualizou foram a Internet, energia sustentável (produção e consumo) e exploração espacial, em particular a extensão da vida fora da Terra. 

A maior parte da consagrada carreira empreendedora de Musk foi dedicada a atacar empresas que ele considera ineficientes ou sem inspiração, que de certo modo pode-se dizer foi sempre voltada para a inovação. Musk foi cofundador do PayPal, em um esforço para reinventar parte do negócio bancário e depois, ao vender o empreendimento à EBay Inc., investiu a fortuna que ganhou ao financiar esforços igualmente ambiciosos em transporte.

Em janeiro de 2011 uma de suas empresas, a SpaceX, tornou-se a primeira a vender um voo comercial à Lua. A missão, marcada para 2013, foi contratada pela empresa Astrobotic Technology, tendo como objetivo colocar um pequeno jipe na superfície lunar, o que não aconteceu. Em 2012 encerrou o projeto do Tesla Roadster, o primeiro modelo da sua autoria, um carro totalmente elétrico que custava cerca de 92 mil dólares. 

A Tesla Motors construiu, por exemplo, o carro convencional totalmente elétrico de melhor performance e avaliação e uma rede complementária de estações de carregamento espalhadas pela América do Norte.

No caso do Hyperloop, a criatividade e o espírito empreendedor de Musk começaram a fluir depois que ele ficou decepcionado com o futuro sistema de trens de alta velocidade da Califórnia. O trem, que tem provocado muita disputa política, foi orçado em US$ 70 bilhões.

O foco central que deu início 'a ideia do Hyperloop foi a redução de custos do projeto em relação ao custo final de fato do futuro sistema de trens de alta velocidade da Califórnia, que segundo Musk é de mais de US$ 100 bilhões, sendo que também tem custos ainda não revelados totalmente sobre a aquisição dos terrenos necessários.

Ao colocar o Hyperloop sobre colunas, Musk acredita poder evitar muitos dos problemas relacionados a terrenos. Ele entendeu desde o início da concepção que o Hyperloop poderia ser construído por US$ 6 bilhões com cápsulas próprias para pessoas, ou por US$ 10 bilhões com cápsulas maiores, capazes de transportar carros.

Desta forma ele está propondo uma alternativa que é quatro vezes mais rápida e custa um décimo do valor do trem de alta velocidade.

O Hyperloop pode utilizar energia solar e as passagens podem sair "muito mais baratas" que as de uma viagem de avião, disse Musk. "Poderia haver painéis solares sobre os tubos, que gerariam energia para mover as cápsulas e energia excedente que poderia ser armazenada, assim ele poderia funcionar à noite", diz ele.

Quando é questionado sobre a segurança, afirma: "Há um freio de emergência", diz ele. "De forma geral, no entanto, a distância segura entre as cápsulas pode ser de cerca de 8 quilômetros, então você pode ter em torno de 70 cápsulas entre Los Angeles e São Francisco, que sairiam a cada 30 segundos. É como dar uma volta na Space Mountain, na Disneylândia".

O Hyperloop foi desenhado para ligar cidades separadas por menos de 1.600 quilômetros com grande tráfego entre elas, disse Musk. Em distâncias inferiores a 1.600 quilômetros o Hyperloop tem uma boa vantagem sobre os aviões, que necessitam de muito tempo para decolar e pousar.

"Ele faz sentido para trajetos como Los Angeles a São Francisco, Nova York a Washington, Nova York a Boston e esse tipo de coisa", disse Musk. "Acima de 1.600 quilômetros o custo do tubo começa a tornar-se proibitivo. E você não precisa colocar tubos em cada um dos percursos." Musk disse ainda em 2013 que ele poderia apoiar outra pessoa ou organização que quisesse transformar o Hyperloop em realidade.

"É uma questão de encontrar a pessoa certa e o time para ir atrás disso", afirmou Musk. "Criar um protótipo não é tão caro assim".

*HyperLoop resumo ( fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Elon_Musk ):

 

  • Em 2013 Elon Musk apresentou o Hyperloop, um novo conceito de transporte de alta velocidade.
  • O Hyperloop consiste em um tubo de baixa pressão com cápsulas, transportadas a grande velocidade ao longo do tubo. Permitirá viajar a alta velocidade, aproximando-se dos 1200 km/h.
  • A construção da ligação entre Los Angeles e San Francisco custaria 6 bilhões de dólares (4,5 bilhões de euros), muito menos do que os 70 a 100 bilhões de dólares (52 mil a 75 bilhões de euros) previstos para o comboio de alta velocidade.
  • Este meio de transporte será menos vulnerável aos sismos e menos exposto aos acidentes do que o comboio e o avião, "porque não se pode despenhar ou descarrilar".
  • O projeto do Hyperloop é apresentado como economicamente viável para ligações inferiores a 1500 km. O preço de uma viagem entre Los Angeles e San Francisco seria de 20 dólares para os 35 minutos de viagem.
  • Em 2015, a Hyperloop Transportation Technologies anunciou que chegou a acordo com a Oerlikon Leybold Vacuum (uma empresa especializada em sistemas de vácuo) e com a Aecom (uma companhia de engenharia de design) para trabalharem em parceria na construção do Hyperloop. Engenheiros da Boeing e da SpaceX já estão envolvidos no projeto. No total, já há 400 profissionais a trabalhar no Hyperloop.
  • Veja também: O Hyperloop está prestes a ter seu primeiro teste público, e as apostas não poderiam ser maiores-> http://bit.ly/1VSW2YO

Algumas matérias relacionadas:

http://www.gizmag.com/hyperloop-musk-analysis/28672/ 

http://news.thomasnet.com/IMT/2013/09/03/is-the-hyperloop-the-greenest-track-for-rapid-transit

http://whatson.ae/dubai/knowledge/39222/hyperloop-will-happen-abu-dhabi-dubai-15-minutes/

https://thebottomline.as.ucsb.edu/2016/02/ucsb-students-head-to-final-round-in-spacex-hyperloop-pod-competition

http://theworldlink.com/lifestyles/go/purdue-team-to-build-test-their-high-speed-hyperloop-design/article_957228f0-03a2-5c2f-8680-7f70ffa4074a.html

http://www.zdnet.com/article/elon-musks-hyperloop-heres-the-dutch-team-with-designs-on-supersonic-train-concept/

http://www.abc.net.au/radionational/programs/drive/bibop-gresta-hyperloop/7157490

http://www.wdbj7.com/news/local/virginia-tech-students-advance-through-hyperloop-competition/37932110

http://www.dailytargum.com/article/2016/02/rutgers-students-join-hyperloop-team-advance-to-next-round

http://www.philly.com/philly/business/transportation/20160211_Drexel_students_compete_to_design_pods_for_Elon_Musk_s_hyper-fast__quot_hyperloop_quot__transportation_prototype.html

http://www.gdnonline.com/Details/65556/Hyperloop-technology-%E2%80%98future-of-transport%E2%80%99

http://www.citylab.com/commute/2016/02/hyperloop-technologies-behind-the-scenes-tour-lab/462033/

http://thetriangle.org/news/drexel-hyperloop-advances-at-spacex-design-weekend/

http://bgr.com/2016/02/07/elon-musk-electric-jet-great-idea/

http://www.nyunews.com/2016/02/08/tandon-team-makes-hyperloop-possible/

https://www.yahoo.com/tech/the-hyperloop-how-elon-musks-dream-is-becoming-a-225746160.html

http://compositesmanufacturingmagazine.com/2016/02/winning-hyperloop-design-from-massachusetts-students-incorporates-carbon-fiber/

http://motherboard.vice.com/read/the-hyperloop-industrial-complex

http://www.dailytexanonline.com/2016/02/11/hyperloop-could-solve-austin%E2%80%99s-traffic-problem

http://www.abc.net.au/radionational/programs/drive/hyperloop-transport-system-hurtling-toward-australia/7162762

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3493007/Hyperloop-coming-Europe-Superfast-tube-people-continent-just-25-minutes-2020.html

http://www.theverge.com/2016/5/10/11653374/hyperloop-one-technologies-propulsion-test-las-vegas-aecom

 

 

Nikola Tesla, um dos gênios mais injustiçados da história

NikolaTesla

 

 

Você conhece Nikola Tesla?

 

Pois ele é um dos maiores injustiçados do mundo da ciência. Pai de diversas invenções não creditadas ao seu nome - Tesla permitiu que o mundo em que vivemos se tornasse real.

Entre suas contribuições para o avanço do mundo moderno estão o desenvolvimento do rádio, demonstrando a transmissão sem fios em 1894, robótica, controle remoto, radar, ciência computacional, balística, física nuclear e física teórica.

 

O homem que realmente inventou muitas coisas que se atribuem a diversas outras pessoas foi Nikola Tesla, o mesmo que possui desde uma unidade de medida para medir a densidade do fluxo magnético, uma cratera na lua, um asteroide, o maior prêmio de engenharia elétrica do mundo até um aeroporto, uma banda de heavy metal com o seu nome, além de ser personagem do filme O Grande Truque e nomear a marca de automóvel que promete um futuro verde ao mundo. Mais de 300 patentes em quase 30 países (inclusive 2 aqui no Brasil), mas então porque ele não é reverenciado como um gênio? 

 

Nascido no finado Império Austro-Húngaro, onde hoje seria a Croácia, em 1856 durante uma tempestade de raios, segundo a lenda, teve seu primeiro contato com a eletricidade na Universidade de Praga onde estudou engenharia elétrica até o terceiro ano, desistindo depois de assistir às aulas. Solteiro pela vida toda, pois dizia que isso era proveitoso às suas ambições e capacidades científicas, acredita-se que ele tinha uma memória fotográfica e podia decorar livros inteiros ao lê-los apenas uma vez, tinha uma condição que fazia com que enxergasse clarões de luz que o cegavam e alucinações, e  que lhe traziam inspiração e ideias. Dizem que ele era capaz de enxergar uma invenção completamente pronta em sua mente antes de começar a esboça-la em um papel. O próprio motor elétrico de corrente alternada, invento que fez a revolução elétrica no mundo, foi visto por ele em uma dessas visões. O projeto foi feito todo mentalmente, sem um protótipo sequer. E quando foi perguntado sobre como ele sabia que aquilo ia dar certo, ele respondeu: "Simples, eu estou vendo-o funcionar". Na época, pensar em um motor de corrente elétrica alternada seria tão surreal quanto pensar, hoje, em teletransporte.

Suas ideias no mundo foram tão revolucionárias que o Estado de Nova York e muitos outros estados nos EUA proclamaram 10 de julho, aniversário de Nikola Tesla, como o dia de Tesla. Sempre à frente de seu tempo, constituiu-se em um dos maiores visionários da ciência, o que torna injusta a "total escuridão" em que este homem terminou os seus dias.

Acredita-se também que ele tivesse transtorno obsessivo compulsivo, insônia (dizia dormir apenas 2 horas por noite, embora fossem apenas cochilos), além de outras manias e fobias, por exemplo: Não tocava em cabelos; não gosta de pérolas - despedindo uma secretária por ir trabalhar com um colar, uma vez -, fazia as coisas de acordo com o numeral 3 e nunca ficava em um quarto de hotel divisível pelo número. Atualmente, através dos relatos, seus biógrafos acreditam eu ele era misofóbico, ou seja, tinha completo pavor em entrar em contato com sujeira ou qualquer coisa que não julgasse estar higienicamente seguro. Antes de cada refeição ele polia cada utensílio até chegar à perfeição, utilizando 18 guardanapos (múltiplo de 3).

 

Chama a atenção, também, sua obsessão por pombos, alimentando-os regularmente no Central Park, em Nova Iorque, com sementes especiais que encomendava. Ele costumava, inclusive, leva-los ao seu quarto e os cuidar. Além da memória eidética e talento para a física, Tesla também era poliglota. Falava 8 idiomas com fluência: sérvio, checo, latim, italiano, alemão, húngaro, francês e inglês. Um de seus primeiros trabalhos foi na Companhia Nacional de Telefones, sendo o eletricista-chefe da empresa e engenheiro do primeiro sistema telefônico do país. Nesta época desenvolveu um aparelho que pode ser taxado como um repetidor ou amplificador de telefone, ou ainda, pode ser considerado o primeiro alto-falante do mundo. No entanto ele não divulgou ou publicou esse invento. 

Veja no link a seguir um Filme Biográfico :Segredo de Nikola Tesla-Secret of Nikola Tesla -Sekret Nikola Tesli: http://bit.ly/1qpdZRw

Tesla estudou na Realschule, Karlstadt em 1873, o Instituto Politécnico em Graz, na Áustria e na Universidade de Praga quando ficou fascinado com eletricidade. A partir daí, iniciou sua carreira como engenheiro elétrico com uma companhia telefônica em Budapeste em 1881.

Mais tarde, Tesla recebeu e aceitou uma oferta para trabalhar para Thomas Edison, em Nova York. Seu sonho de infância era ir aos Estados Unidos para aproveitar o poder de Niagara Falls. Tesla começou a melhorar a linha de dínamos de Edison, enquanto trabalhava no laboratório em Nova Jersey. Foi aqui que a sua divergência de opinião com Edison sobre corrente contínua e corrente alternada começou. Apesar de muitas descobertas profícuas, as divergências entre Tesla e Edison, o fez, em 1912, recusar em dividir o Prêmio Nobel de Física entre os dois. Assim, o prêmio acabou sendo dado a outro pesquisador.

Nikola Tesla desenvolveu o modelo polifásico alternado que conhecemos atualmente, além de realizar 40 patentes básicas dos EUA sobre o sistema. Todas estas patentes foram compradas por George Westinghouse. Foi aí que a guerra das correntes tomou corpo maior. O grande conflito era Edison (com sua corrente contínua) versus Tesla-Westinghouse (corrente alternada). Estes acabaram vencendo a batalha por que a tecnologia da corrente alternada se mostrou superior.

 

Podemos ter luz elétrica em nossa casa graça à invenção e aplicação da corrente alternada desenvolvida por ele quando fora contratado pela Westinghouse para criar a linha de transmissão e viabilizar o primeiro sistema hidrelétrico do mundo. Na ocasião recebeu 1 milhão de dólares pela venda de suas patentes a George Westinghouse e mais US$ 2,50 dólares de royalties por HP gerado por suas invenções. Tesla começava a ficar rico e famoso, certo? Mais ou menos. Devido a jogadas mal planejadas, a Westinghouse ficou à beira de uma falência, e Tesla, não querendo que centenas de pessoas perdessem seus empregos, teve a grandiosidade de rasgar o contrato dos royalties, o que hoje valeria TRILHÕES de dólares. Mas nem assim tudo foram flores para ele. O seu sistema de corrente alternada recebeu críticas duríssimas de Edison que dizia que ele era ineficiente e não devia ser levado a sério. O motivo? O sistema de corrente contínua - que vimos acima - tinha sido criado por ele e era o padrão adotado nos Estados Unidos, com a mudança do padrão ele perderia uma montanha de dinheiro a cada ano em royalties. Assim começava a famosa Guerra das Correntes. Para termos luz na sala de casa hoje, segundo o sistema de Thomas Edison, precisaríamos de uma usina de energia elétrica a cada quilômetro quadrado. Inviável, certo? Já o sistema de Tesla usava cabos menores, alcançava maiores voltagens e podia transmitir energia elétrica a distâncias muito maiores. Frente a essa perda de dinheiro, nome e prestígio, Thomas Edison resolveu se mexer e tomou uma atitude muito adulta: Começou a pagar 25 centavos por cada cachorro ou gato que garotos trouxessem vivo para ele. Depois, em uma exibição pública, eletrocutou todos usando a corrente alternada de Tesla, além de cavalos e até elefantes. Ele queria mostrar como era perigoso sistema de corrente alternada e convencer a opinião pública de que não era segura para se ter em uma casa. A propaganda negativa foi tão forte que, na época, o estado de Nova Iorque passou a utilizar a eletrocussão por corrente alternada como método de execução de condenados. Para a nossa sorte, o sistema de Tesla era mais barato e funcional e foi adotado não só nos EUA, como em diversos países, caminhando para ser o padrão global. Por isso, Tesla é o verdadeiro pai da era da eletricidade. 

Veja no link a seguir um vídeo sobre a Guerra das Correntes ( A Guerra Elétrica - A Disputa entre Edison, Westinghouse e Tesla ): http://bit.ly/1Rykk7b

Ainda na época da Guerra das Correntes, época de muita criatividade para ele, Tesla desenvolveria diversas aplicações para seu uso de corrente alternada, como: motor elétrico, o princípio da criação de energia elétrica através de um campo magnético rotativo, ignição elétrica de motores à gasolina; o motor assíncrono giratório, comutadores elétricos, bobina de Tesla, que permitiu a comunicação sem fio, rádios e tv's, lâmpada fluorescente, etc. (muitos etc.), controle remoto por rádio, etc. Pesquisou desde energia solar até o poder do mar, além de prever comunicações interplanetárias e satélites. Há também relatos de ideias geniais e invenções ou teses feitas que ele preferiu não registrar. Para ajudar, após a briga contra Edison, em 1895, seu laboratório pegou fogo misteriosamente, junto de todas as suas pesquisas. Suspeitasse até hoje que fora causado por alguma grande companhia do ramo da eletricidade, já que após o incêndio, o que sobrou foi "sem querer" atropelado por tratores. A motivação seria a pesquisa dele em energia gratuita a todos, mas como veremos adiante, Tesla não desistiria, e, mostraria que era uma das pessoas mais legais que já viveram. Em seus estudos Nikola Tesla descobriu, em um de seus momentos de genialidade, uma forma de conceder energia elétrica wireless grátis para todo o planeta através de uma torre que seria construída perto de Nova Iorque. O projeto saiu do papel e chegou a ter a torre e o prédio prontos, porém empacou em um detalhe: o empresário que estava financiando a construção da torre - um dos mais famosos financistas dos EUA, J. P. Morgan - decidiu encerrar o projeto quando se deu por conta de que não teria como regular essa energia, e, portanto, como cobrar por ela e lucrar com isso.

Hoje, cientistas, físicos e engenheiros elétricos dizem que aquilo seria impossível, que por não fazer cálculos no papel, ele não conseguiu ver um detalhe banal: ao passar para o ar, a energia rapidamente se esvaneceria. Bom, funcionando ou não, é interessante notar a benevolência de Tesla que não queria 1 centavo por sua nova criação. E se você ainda não entendeu ainda a importância de Tesla para nossas vidas e da sua genialidade, saiba que:

Foi o responsável pela construção da primeira hidroelétrica do mundo, nas cataratas do Niágara, provando a todos que a água era um meio prático de obter energia;

Conduziu experimentos com engenharia criogênica, quase meio século antes de sua invenção;

Patenteou mais de 100 inovações que foram usados na criação do transistor, aquela pecinha primordial que faz com que seja possível o computador moderno existir e você ler isso neste momento;

Foi a primeira pessoa a captar ondas de rádio do espaço, o que o torna, indiretamente, o pai da radioastronomia;

Descobriu a frequência de ressonância da terra, que só pode ser confirmada 50 anos depois, já que era muito avançado à época;

Desenvolveu uma máquina de terremotos que quase destruiu um bairro inteiro em Nova Iorque;

Inventou a poderosa Bobina de Tesla, que você pode não conhecer de nome, mas com certeza já a viu em algum lugar;

Conseguiu, na década de 90, reproduzir em seu laboratório o fenômeno conhecido como "Ball Lighting", que consiste em uma luz que aparece na forma de uma esfera e viaja devagar enquanto plana a alguns pés do chão. É um fenômeno muito raro e até hoje os cientistas ainda não conseguiram replicar o feito em moderníssimos laboratórios;

Inventou o controle remoto, a luz de neon, motor elétrico moderno, comunicações wireless, e outras coisas que tornam nosso dia a dia mais prático e legal;

Inventou um raio da morte que poderia destruir o mundo caso caísse em mãos erradas. Parece ficção, mas não é, ao menos é o que diversas fontes juram. No entanto, destruiu o projeto antes dele vazar (alguns acreditam que o projeto está em posse do governo dos EUA). O raio chegou perto de ser vendido para a Inglaterra por 30 milhões de dólares, durante a 2ª Guerra Mundial, mas foi desfeito nos últimos momentos. O próximo comprador seriam os Estados Unidos, porém, a reunião que daria desfecho à compra nunca ocorreu. Tesla morreria antes.

Mas se você acha que o atrito com Thomas Edison foi a única injustiça com Tesla está muito enganado. É sabido que quem inventou o rádio foi o italiano Guilherme Marconi, mas, como você já deve ter imaginado, foi Tesla. Tudo que Marconi fez foi pegar o trabalho desenvolvido por Tesla e patenteado em 1896, que continha todos os diagramas esquemáticos descrevendo todos os elementos básicos do transmissor de rádio, mudar um pouquinho aqui, umas coisinhas ali e ficar mundialmente famoso ao mandar a primeira mensagem transatlântica da história. Ao ser perguntado sobre o que sentia, Tesla disse: "Marconi é um bom amigo. Deixem-no continuar. Ele está usando 17 das minhas patentes". Sim, ele é um baita parceiro. Porém, quando Marconi recebeu um prêmio Nobel por isso. Prêmio que deveria ser de Nikola e essa não foi a primeira vez que ele perdeu um Nobel, já que a discussão e os avanços decorrentes da questão corrente alternada/contínua gerou o prêmio para ele e Edison. Prêmio que não foi entregue, pois a Academia de Ciências concedente não concordou em dividir o prêmio e ele foi repassado a um terceiro pesquisador - Willian Bragg. Ao perder o prêmio para Marconi ele teria dito: "Marconi é um asno". Nesse momento Tesla já estava sem dinheiro - note que foi quando J. P. Morgan havia removido o incentivo financeiro à Torre - e suas patentes começavam a expirar. Desesperado, tentou processar o italiano, desistindo ao ver que, sem recursos, não conseguiria disputar com uma grande companhia.

Outras invenções relacionadas com Tesla:

O radar, este invento que permite desviar de mísseis, submarinos navegarem por aí, sua comida sair quentinha do micro-ondas, etc. Hoje, credita-se a descoberta a Robert Watson-Watt, que o teria descoberto em 1935, porém, 18 anos antes, em 1917, ele havia apresentado à marinha americana (estávamos no início da 1ª Guerra Mundial) um sistema que poderia ter previsto milhares de baixas ocasionados pelos mísseis aquáticos alemães. Neste ponto surge uma pergunta: E por que a marinha rejeitou o invento? Bem, é que Thomas Edison era chefe do centro de pesquisa e desenvolvimento da marinha e disse que o radar não teria aplicação prática na guerra.

O Raio-X - Creditado a Wilhelm Rontgen, já havia sido descoberto e pesquisado por Tesla anos antes. Na euforia de sua "descoberta", acreditava-se que os raios-x poderiam curar problemas como a cegueira, porém, Tesla, que já havia investigado o assunto, e sabia do que ele podia causar, recusou-se a conduzir experimentos médicos com ele, tentando alertar o mundo sobre seu perigo. Mas claro que alguém não ouviria as advertências. Quem seria? Se você pensou em Thomas Edison, parabéns para você. Não perdendo a oportunidade de ser inconveniente, Edison começou a experimentar os raios-x em seus empregados, sendo que um deles, Clarence Dally recebeu uma carga de raios-x tão grande que precisou ter seus 2 braços amputados para que não morresse. Pois é, não deu certo e ele morreu por causa de um câncer no mediastino. Aliás, o próprio Edison quase ficou cego por disparar raios-x contra seus olhos.

Vivendo em uma época que somente invenções rentáveis e vendáveis eram "legais", ninguém dava bola para a radioastronomia. Suas invenções não eram aquelas que poderiam aperfeiçoar um produto e vender mais e mais, elas eram revolucionárias. Por toda sua vida ele foi leal e compreensivo com aqueles que o tentaram passar para trás, e mais, não via o lucro como principal motivação das suas pesquisas. Em seus últimos anos de vida ele passava dias e noites sozinho em seu laboratório, que era o único modo de ele estar realmente feliz. Tesla morreu alucinado, pobre, considerado louco por muitos, sozinho em um quarto de hotel em Nova Iorque. Pagando o preço por ser um humanitário durante toda a sua vida, por tentar levar tudo de graça às pessoas, chegou ao fim de seus dias vivendo apenas de leite e bolachas e mesmo em sua pior situação não se esquecia daqueles que amou durante toda sua vida: os pombos.

Em uma de suas últimas entrevistas disse:

"Venho alimentando os pombos, milhares deles, há anos, mas havia um pombo, um pássaro bonito, branco puro com detalhes cinza claro em suas asas. Aquele era diferente... Não importa onde eu ia, aquele pombo iria me encontrar; quando eu queria ver ela só tinha que desejar e chamá-la para que ela viesse voando até mim... Eu amei aquele pombo... Eu a amava como um homem ama uma mulher, e ela me amava. Então, uma noite eu estava deitado na minha cama, no escuro, resolvendo problemas, como de costume, ela voou pela janela aberta e ficou na minha mesa. Eu sabia que ela me queria; ela queria me dizer algo importante, então eu me levantei e fui até ela. Quando eu a olhei eu sabia o que ela queria me dizer - ela estava morrendo. E então, eu saquei sua mensagem, vinha uma luz de seus olhos - poderosos feixes de luz... uma luz mais intensa do que eu já tinha produzido pelas lâmpadas mais potentes em meu laboratório. Quando aquele pombo morreu, algo saiu da minha vida. Até aquele momento, eu sabia com certeza que iria completar meu trabalho, não importa o quão ambicioso fosse, mas quando algo como aquilo saiu da minha convivência eu sabia que o trabalho da minha vida tinha acabado".

E assim, em 7 de janeiro de 1943, acabou a vida de um dos maiores gênios da humanidade: Vivendo na pobreza e conversando com pombos imaginários.

Ainda hoje existem diversas invenções que são classificadas como sigilosas pelo governo americano e que não foram entregues à família quando de sua morte, gerando muitas especulações sobre invenções fantásticas. Invenções essas que seriam mantidas no escuro devido à pressão das grandes petroleiras ou por outros assuntos tão sensíveis quanto. Outro episódio que suscitou burburinho durante a Guerra Fria foi o sumiço de algumas de suas pesquisas. Os EUA temiam que a União Soviética tivesse ficado com suas ideias e estivesse as desenvolvendo. 

Hoje ele tem um museu fundado em seu nome, com suas invenções e memória. No museu são realizadas diversas experiências e demonstrações, como a do vídeo abaixo. Os experimentos recriam as apresentações de Tesla que era um verdadeiro showman, conhecido por suas exibições performáticas, que muito lembravam os espetáculos de mágica. Em 2006 aquele terreno em que foi levantada a torre de eletricidade gratuita de Tesla que vimos acima, foi posto à venda. E aí vem a maravilha da internet, novidade que só foi possível pelas criações de Nikola Tesla. O site de quadrinhos OatMela criou uma campanha crowdfunding que conseguiu arrecadar mais de 1 milhão e 700 mil dólares em apenas 6 dias!! Atualmente, eles estão em busca de 10 milhões de dólares para criar "um centro de ensino de ciência e um museu digno de Tesla e seu legado." E parece que a ideia vai sair do papel, afinal, Elon Musk, fundador da Tesla Motors - maior e mais promissora montadora de carro elétricos do mundo - doou 1 milhão de dólares em troca de uma estação de abastecimento de carros no local.

Para saber mais sobre Tesla clique no link a seguir e visite este site que diz reunir tudo que sai sobre ele: http://bit.ly/teslauniverse

No link a seguir a primeira parte de um documentário sobre Nikola Tesla e suas principais invenções ( as outras partes estão relacionadas no YouTube): http://bit.ly/1UOdpKf

 

Fontes:infoescola.com;oficinadanet.com.br;teslauniverse.com;

pt.wikipedia.org/wiki/Nikola_Tesla